Odisseia

«Mas está oculto no seio dos deuses se voltará ou não, para se vingar deles na sua casa.» (Homero)

A Europa agredida

Posted by atrida em Sábado, Abril 11, 2009

Numa altura em que ganha intensidade a polémica em torno da difusão na net de um vídeo que mostra um infeliz gaulês a ser agredido por um estrangeiro aos gritos de “Francês de merda” e “filho da puta”, é também notícia o destino suspeito de donativos entregues à organização SOS-Racisme.

A França, desde os anos Mitterrand na vanguarda da imigração desregrada e na imposição de modos de vida estranhos aos seus, mostra a quem quer ver o delírio suicida da adopção de tão absurdas políticas, que vão matando a pouco e pouco o que resta da liberdade dos seus cidadãos e da sua dignidade como nação.

Por cá também não faltam os aprendizes de feiticeiro.

Advertisements

3 Respostas to “A Europa agredida”

  1. Réquila said

    Novidade das Edições Réquila: “Espiritualidade Pagã na Idade Média Católica”

    edicoesrequila.blogspot.com

  2. Maria said

    E que tal uma sua reflexão daquelas à maneira antiga, isto é, à sua maneira, para compensar a tristeza em que vivemos mergulhados? Ou em alternativa uma crítica contundente às políticas (e políticos) deploráveis que somos obrigados a suportar contra nossa vontade – tornando a passagem dos dias cada vez mais penosa – emulando com a sua inconfundível verve alguns dos nossos maiores do séc. XIX? É que elas já vão fazendo falta e não é pouca.

    Por outro lado, chicotadas psicológicas diárias na politicagem (à falta de animo para mais…), tornaram-se numa missão imperiosa a que nenhum português de bem se deve furtar. E Deus sabe, ainda há muitos milhões destes no país e muitas centenas a lutar no terreno dia após dia com as armas de que dispõem, como se pode observar percorrendo a afoita blogosfera, uma corajosa televisão e um ou noutro jornal mais frontal. Que não obstante serão sempre poucos perante o poderosíssimo Mal que enfrentamos.
    Seja pela escrita – blogosférica e literária – pela canção, pelo cinema, pelo teatro de revista, seja de que modo for, que se ponha a nu a miséria profissional e moral daqueles que abusivamente se intitulam nossos governantes. Que se faça uma Revista à moda antiga com textos adequados e certeiros, para lhes atirar à cara o que eles quiseram esconder, precavendo-se a tempo, quando acabaram com o teatro de Revista (a que nem o outro regime se permitiu, para vergonha máxima destes “democratas” sem vergonha que ardilosamente andam a mentir há trinta e cinco anos gabando-se que acabaram com a censura): a crítica pura e dura à roubalheira, à corrupção e à podridão política e moral em que todos eles chafurdam desde que puseram o pé em Portugal.

  3. Miguel Vaz said

    Já tive oportunidade de ver o vídeo em questão e devo dizer que nada daquilo me espanta. Momentos desses já tive a (in)felicidade de presenciar alguns.
    Nota para os que questionaram a autenticidade do vídeo (há sempre aqueles que dizem que o arrastão nunca existiu) e ainda para as respostas da vítima ao Figaro.
    E já agora obrigado pelos comentários 😉

    Abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: